www.ccdapdl.pt

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Etapa 5 - de Ponte de Lima a Rubiães

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Às 08 horas em ponto partimos rumo a Ponte de Lima. Para grande surpresa minha, eu e o “Facas” conseguimos comparecer a esta etapa, o que nos deixou muito felizes!
Aqui chegados, fomos tomar o pequeno-almoço no Centro da Vila. Por uma questão de gestão do tempo, reorganizamo-nos em grupos mais pequenos e dirigimo-nos a duas ou três confeitarias locais, para que fossemos atendidos mais rapidamente. Na confeitaria onde estive, por exemplo, os pastéis de carne, eram divinais!

Repostos os níveis calóricos, começou então mais uma aventura e que aventura! Deixamos para trás a bela vila medieval mais antiga de Portugal e abraçamos a etapa Rainha do Caminho Português de Santiago, a Serra da Labruja!
À saída de Ponte de Lima começa a subida da Serra da Labruja, primeiro duma forma relativamente suave para depois, nos últimos 4 Km, subir por um trilho quase impraticável, desde os 100 metros de altitude até ao seu pico mais elevado – a Portela Grande – a 436 metros.

Para muitos peregrinos estes são os quilómetros mais extenuantes de todo o percurso. A montanha íngreme, cheia de pedregulhos e, uma subida deveras desafiante até ao cume, deixou-nos a todos com a respiração ofegante!
A meio da encosta encontramos a Cruz dos Franceses ou a Cruz dos Mortos, que assinala o sítio onde a população local, emboscou os retardatários franceses do exército de Napoleão, na invasão de 1809.
No ponto mais alto da serra encontramos a Casa do Guarda Florestal e, claro está, um miradouro fabuloso! A serra da Labruja é dona de uma beleza invulgar!
Depois deste enorme esforço, tivemos todos a merecida recompensa... “Até Rubiães é sempre a descer e, como diz o ditado... “Para baixo todos os Santos ajudam incluindo Santiago!”
Em Rubiães, encontramos o albergue municipal, que fica à entrada da povoação no edifício da antiga escola primária, completamente restaurado. Esta Escola Primária tinha apenas duas crianças e por isso foi forçada a encerrar portas.

O Albergue possui dois dormitórios com bastantes camas, sala de convívio, casas de banho e cozinha. O carimbo, assim como o livro de registo das passagens está no hall de entrada à disposição de cada um.
Mais tarde, fizemos uma pequena pausa num pequeno café/mercearia em Cossourado, onde curiosamente, ficamos a saber que foi naquele preciso local, que no princípio dos anos 90, surgiu a primeira seta com a sua cor original amarela, alusiva aos “ Caminhos de Santiago”, tal como hoje a conhecemos. Segundo carimbo da etapa!
Aproximadamente por volta das 18:00, chegamos ao Restaurante Constantino, onde fomos jantar. Um bem-haja ao Sr. Constantino, à sua família e à sua colaboradora, que nos receberam de uma forma muito calorosa, serviram-nos lindamente, carimbaram e escreveram uma dedicatória nas nossas credenciais. Um Feliz Natal para o Sr. Constantino, para a sua família e para a simpatiquíssima menina que nos atendeu!
Deixem-me agora apenas partilhar convosco que, a peregrinação a Santiago de Compostela, teve em terras lusitanas uma importante projeção, participando o povo português ativamente no desenvolvimento do culto jacobeu.
Em meados do século XII, os peregrinos já partiam de núcleos de população tão importantes como Lisboa, Coimbra, Porto e Braga.

A motivação principal desta peregrinação foi religiosa, mas este fluxo secular de pessoas que povoaram os caminhos de Santiago, também contribuiu para estabelecer entre Portugal e Galiza profundos laços de intercâmbio cultural, económico e espiritual.

O Caminho Português de Santiago, faz uso de trajetos antigos que cruzam bosques, campos agrícolas, aldeias, vilas e cidades históricas bem como, cursos de águas com pontes emblemáticas, algumas deixadas pela ocupação romana, o que faz com que este seja tão especial!
Por volta das 22:45 horas chegamos a Leça da Palmeira.
Resta-me desejar a todos os caminheiros e à equipa do CCD da APDL um Santo Natal e um Excelente 2018 para todos!
Que no sapatinho de cada um de nós, o Pai Natal nos deixe muito amor, muita saúde, muitos sucessos profissionais e pessoais e uma mão cheia de caminhadas divertidas! Que a magia da noite de Natal transforme os nossos sonhos em realidade!

Leça da Palmeira, 20 de Dezembro de 2017
Paula Silva